sexta-feira, 27 de abril de 2007

ESTAMOS TODOS NO MESMO BARCO

Há muitos anos, Tom era funcionário de uma empresa muito preocupada com a educação.

Um dia, o executivo principal decidiu que ele e todo grupo gerencial, um total de 12 pessoas, deveriam participar de um curso de sobrevivência, que tinha a forma de uma longa corrida de obstáculos

A prova era cruzar um rio violento e impetuoso.

Para surpresa de todos, pela primeira vez o grupo gerencial foi solicitado a dividir-se em três grupos menores de quatro pessoas para a superação daquele obstáculo.

Os grupos eram: A, B e C

O grupo “A” recebeu quatro tambores de óleos vazios, duas grandes toras de madeira, uma pilha de tábuas, um grande rolo de corda grossa e dois remos.

O grupo “A” recebeu quatro tambores de óleos vazios, duas grandes toras de madeira, uma pilha de tábuas, um grande rolo de corda grossa e dois remos.

O grupo “B” recebeu dois tambores, uma tora e um rolo de barbante

Já o grupo “C” não recebeu recurso nenhum para cruzar o rio; eles foram solicitados a usarem os recursos fornecidos pela natureza, caso conseguissem encontrar algum perto do rio ou na floresta próxima.

Não foi dada nenhuma instrução a mais.

Simplesmente foi dito aos participantes que todos deveriam atravessar o rio dentro de quatro horas

Tom teve a “sorte” de estar no grupo “A”, que não levou mais do que meia hora para construir uma maravilhosa jangada.

Um quarto de hora mais tarde, todo o grupo estava em segurança e com os pés enxutos no outro lado do rio, observando os grupos em sua luta desesperada.

O grupo “B”, ao contrário, levou quase duas horas para atravessar o rio.

Havia muito tempo que Tom e sua equipe não riam tanto como no momento em que a tora e dois dos tambores viraram com seus gerentes financeiro, de computação, de produção e de pessoal

E o melhor estava por vir.

Nem mesmo o rugido das águas do rio era suficiente para sufocar o riso dos oito homens quando o grupo “C” tentou lutar contra as águas espumantes.

Os coitados agarraram-se a um emaranhado de galhos, que estavam se movendo rapidamente com a correnteza.

O auge da diversão foi quando o grupo bateu em um rochedo, quebrando os galhos.

Somente reunindo todas as forças que lhes restavam foi que o último membro do grupo “C”, o gerente de logística, todo arranhado e com os óculos quebrados, conseguiu atingir a margem, 200 metros rio abaixo.

Quando o líder do curso voltou, depois de quatro horas, perguntou:

Então como vocês se saíram?

O grupo “A” respondeu em coro:
Nós vencemos! Nós vencemos!

O líder do curso responde:

Vocês devem ter entendido mal. Vocês não foram solicitados a vencer os outros.

A tarefa seria concluída quando os três grupos atravessassem o rio dentro de quatro horas.

Nenhum deles pensou em ajuda mútua, nem sonhou em dividir os recursos (tambores, toras, corda e remos) para atingirem uma meta comum.

Não ocorreu a nenhum dos grupos coordenar os esforços e ajudar os outros.

Foi uma lição para todos no grupo gerencial.

Todos caíram direto na armadilha. Mas naquele dia, o grupo aprendeu muito a respeito de trabalho em equipe e de lealdade em relação aos outros.

MORAL DA HISTÓRIA

Se parássemos de encarar a vida e as pessoas como um jogo e milhões de adversários, muito provavelmente sofreríamos menos, compreenderíamos mais os problemas alheios e encontraríamos muito mais conforto no abraço de cada um.

Mas infelizmente, nos enxergamos como rivais, como se estivéssemos em busca de um tesouro tão pequeno que só poderia fazer vitorioso a uma única pessoa.

Ledo engano: o maior prêmio de nossa existência está na capacidade de compartilharmos a vida!

DICA = Estamos todos no mesmo barco!

Experimente acolher ao invés de julgar, perdoar ao invés de acusar e compreender ao invés de revidar!

É difícil, sem dúvida! Mas é possível e extremamente gratificante.

A vida fica mais leve, o caminho fica mais fácil e a recompensa, muito mais valiosa.

A EQUIPE FAZ A FORÇA

A equipe só sobrevive quando todos estiverem empenhados e comprometidos com os resultados, respeitando indistintamente a tudo e a todos.

quarta-feira, 25 de abril de 2007

Hoje recebi flores....

Não é o meu aniversário ou nenhum outro dia especial;

tivemos a nossa primeira discussão ontem à noite e ele me disse muitas coisas cruéis que me ofenderam de verdade.
Mas sei que está arrependido e não as disse a sério, porque ele me enviou flores hoje.
E não é o nosso aniversário ou nenhum outro dia especial.
Ontem ele atirou-me contra a parede e começou a asfixiar-me.

Parecia um pesadelo, mas dos pesadelos acordamos e sabemos
que não são reais. Hoje acordei cheia de dores e com golpes em todos lados.
Mas eu sei que ele está arrependido, porque me en
viou flores hoje.

E não é Dia dos Namorados ou nenhum outro dia especial.
Ontem à noite bateu-me e ameaçou matar-me.
Nem a maquiagem ou as mangas compridas
poderiam ocultar os cortes e golpes que me ocasionou desta vez.

Não pude ir ao emprego hoje porque não queria que percebessem.
Mas eu sei que está arrependido porque ele
me enviou flores hoje.

E não era Dia das Mães ou nenhum outro dia especial.Ontem à noite ele voltou a bater-me, mas desta vez foi muito pior.

Se conseguir deixá-lo, o que é vou fazer?

Como poderia eu sozinha manter os meus filhos?
O que acontecerá se faltar
o dinheiro?
Tenho tanto medo dele!

Mas dependo tanto dele que tenho medo de o deixar.

Mas eu sei que está arrependido, porque ele me enviou flores hoje.
Hoje é um dia muito especial: É o dia do meu funeral.
Ontem finalmente conse
guiu matar-me.
Bateu-me até eu morrer.

Se ao menos eu tivesse tido a coragem e a força para o deixar...

Se tivesse pedido ajuda profissional...

Hoje não teria recebido flores!

Por uma vida sem violência!!!

Partilhem essa mensagem para criar consciência..

PARA QUE SE TENHA RESPEITO PARA COM A MULHER, COM AS CRIANÇAS, COM O IDOSO, ENFIM QUERIDOS AMIGOS... QUE SE TENHA RESPEITO COM O PRÓXIMO, SEJA QUEM FOR!!!
DENUNCIEM A VIOLÊNCIA... !!!

Violência contra a mulher!

terça-feira, 24 de abril de 2007

segunda-feira, 23 de abril de 2007

Espiritismo, Bruxaria... já não falta mais nada...

Bruxaria é tema da nova novela das seis

Eterna Magia, próxima novela das seis da Rede Globo, será ambientada numa cidade do interior, a fictícia Serranias, entre as décadas de 30 e 40.

A história traz duas irmãs, Eva (Malu Mader) e Mariana (Maria Flor), bruxas que seguem os preceitos da Wicca, uma religião pagã.

Triângulos amorosos, poções mágicas e a pouco conhecida história da imigração irlandesa no Brasil, costurarão a trama escrita por Elizabeth Jhin (Começar de Novo), com supervisão do mestre Silvio de Abreu.
retirado do site do ig:
http://minhanoticia.ig.com.br/materias/428001-428500/428264/428264_1.html



"Quantos e quantos por aí ainda estão cegos ao não enxergar o quanto de coisa ruim e o quão mal essas novelas e outras coisas na mídia tem trazido de ruim para nossa mente..."


Leia também Espiritismo para todo lado no blog do Michelson clicando AQUI!



Espiritismo, Bruxaria... já n

Bruxaria é tema da nova novela das seis

Eterna Magia, próxima novela das seis da Rede Globo, será ambientada numa cidade do interior, a fictícia Serranias, entre as décadas de 30 e 40.

A história traz duas irmãs, Eva (Malu Mader) e Mariana (Maria Flor), bruxas que seguem os preceitos da Wicca, uma religião pagã.

Triângulos amorosos, poções mágicas e a pouco conhecida história da imigração irlandesa no Brasil, costurarão a trama escrita por Elizabeth Jhin (Começar de Novo), com supervisão do mestre Silvio de Abreu.

quinta-feira, 19 de abril de 2007

O Lápis

O menino olhava a avó escrevendo uma carta.

A certa altura, perguntou:

- Você está escrevendo uma história?

A avó parou a carta, sorriu, e comentou com o neto:

- Estou escrevendo sobre você, é verdade. entretanto, mais importante do que as palavras, é o lápis que estou usando; gostaria que você fosse como ele, quando crescesse.

O menino olhou para o lápis, intrigado, e não viu nada de especial.

- Mas ele é igual a todos os lápis que vi em minha vida!

- Tudo depende do modo como você olha as coisas. Há cinco qualidades nele que, se você conseguir mantê-las, será sempre uma pessoa em paz com o mundo.

Primeira qualidade: você pode fazer grandes coisas, mas não deve esquecer nunca que existe u

ma mão que guia seus passos. E

sta mão que podemos chamar de Deus, deve sempre conduzi-lo em direção à sua vontade.

Segunda: de vez em quando, eu preciso parar o que estou escrevendo, e usar o apontador. isso faz com que o lápis sofra um pouco. Mas, no final, ele estará mais afiado. Portanto, saiba suportar algumas dores, porque elas o farão ser uma pessoa melhor.

Terceira: o lápis é companheiro da borracha para apagar o que estava errado. Entenda que corrigir uma coisa não é necessariamente algo ruim...

Quarta: o que realmente importa no lápis não é a madeira ou sua forma exterior, mas o grafite que está dentro. portanto, sempre cuide daquilo que acontece dentro de você.

Quinta: o lápis sempre deixa uma marca...

Portanto, lembre-se: tudo o que você fizer na vida, irá deixar traços... Por isso, procure ser consciente de cada ação e que os seus desenhos sejam lindos!

quarta-feira, 4 de abril de 2007

Ande Sobre as Águas

Simão Pedro disse em Marcos 14.28
“Senhor, se és tu, manda-me ir ao teu encontro por sobre as águas”
Pedro pode ter sido o primeiro a saltar do barco e andar sobre as águas, mas o convite de Jesus também vale para você.
Este é o melhor lugar para encontrá-lo: Em alto mar, onde o pé não alcança mais a terra.
O que significa andar sobre as águas?
•Enfrentar e vencer seus medos e inseguranças
•Conhecer e abraçar o chamado de Deus para a sua vida
•Experimentar a força do poder divino e romper os limites do impossível Para obter vitória é preciso superar ondas contrárias. Você está sujeito a vários revezes, mas contará sempre com a mão forte de Jesus, puxando-o para cima quando começar afundar.
As recompensas compensarão todos os riscos A mesma fé que motivou Pedro a sair do barco e andar sobre o mar em direção a Jesus está dentro de você Saia do “barco” e experimente a maior aventura de sua vida.
Texto – John Ortberg

terça-feira, 3 de abril de 2007

COMPRE UM CÃO!!!

Se vc quer alguém q te traga o jornal sem 1º desmanchá-lo para tirar a parte dos esportes.......
Compre um cão.

Se vc quer alguém disposto a se tornar ridículo simplesmente pelo prazer de te ver......
Compre um cão.

Se vc quer alguém q coma o q vc colocar na frente dele sem comentar q não é tão bom qto a mãe dele fazia....
Compre um cão.

Se vc quer alguém disposto para sair com vc, a qualquer hora e por qto tempo quiser......
Compre um cão.

Se vc qser alguém que nunca toque no controle remoto, não dê a mínima para futebol, Novela e que consiga sentar a seu lado enqto vc vê um filme romântico….
Compre um cão.

Se vc qser alguém que fique contente em se deitar em sua cama só para esquentar seus pés e quem vc poderá expulsar se roncar……
Compre um cão.

Se vc qser alguém que nunca critica o que vc faz e que não liga se vc é bonita ou feia…..
Compre um cão.

Se vc quer alguém que não liga se vc é gorda ou esbelta, jovem ou velha…..
Compre um cão.

Se vc quer alguém que atue como que cada palavra que vc diz vale à pena escutar e te ame incondicionalmente, perpetuamente……….
Compre um cão.

Agora, por outro lado, se vc qser alguém que nunca venha qdo vc chama, te ignora qdo vc chega em casa, deixa pêlos por todos lados, passa por cima de vc, sai à noite toda e só vem pra casa para comer e dormir, e se comporta como toda sua existência e sómente para garantir a felicidade dele...
Então minha amiga,


Compre um gato!
Vc pensou que eu estava falando de HOMEM né??!

segunda-feira, 2 de abril de 2007

O homem que não se irritava

Recebi por email esta história e achei muito boa... para nós refletirmos quando estivermos no transito em uma fila qualquer, ou discutindo algo com alguém que não irá chegar a lugar algum.

Em cidade interiorana havia um homem que não se irritava e não discutia com ninguém.

Sempre encontrava saída cordial, não feria a ninguém, nem se aborrecia com as pessoas.

Morava em modesta pensão, onde era admirado e querido.

Para testá-lo, um dia seus companheiros combinaram levá-lo à irritação e à discussão numa determinada noite em que o levariam a um jantar.

Trataram todos os detalhes com a garçonete que seria a responsável por atender a mesa reservada para a ocasião. Assim que iniciou o jantar, como entrada foi servida uma saborosa sopa, que o homem gostava muito.

A garçonete chegou próxima a ele, pela esquerda, e ele, prontamente, levou seu prato para aquele lado, a fim de facilitar a tarefa.

Mas ela serviu todos os demais e, quando chegou a vez dele, foi embora para outra mesa.

Ele esperou calmamente e em silêncio, que ela voltasse. Quando ela se aproximou outra vez, agora pela direita, para recolher o prato, ele levou outra vez seu prato na direção da jovem, que novamente se distanciou, ignorando-o.

Após servir todos os demais, passou rente a ele, acintosamente, com a sopeira fumegante, exalando saboroso aroma, como quem havia concluído a tarefa e retornou à cozinha.

Naquele momento não se ouvia qualquer ruído. Todos observavam discretamente, para ver sua reação.

Educadamente ele chamou a garçonete, que se voltou, fingindo impaciência e lhe disse: o que o senhor deseja?

Ao que ele respondeu, naturalmente: a senhora não me serviu a sopa.

Novamente ela retrucou, para provocá-lo, desmentindo-o: servi, sim senhor!

Ele olhou para ela, olhou para o prato vazio e limpo e ficou pensativo por alguns segundos...

Todos pensaram que ele ia brigar... Suspense e silêncio total.

Mas o homem surpreendeu a todos, ponderando tranqüilamente: a senhorita serviu sim, mas eu aceito um pouco mais!

Os amigos, frustrados por não conseguir fazê-lo discutir e se irritar com a moça, terminaram o jantar, convencidos de que nada mais faria com que aquele homem perdesse a compostura.

Bom seria se todas as pessoas agissem sempre com discernimento em vez de reagir com irritação e impensadamente.

Ao protagonista da nossa singela história, não importava quem estava com a razão, e sim evitar as discussões desgastantes e improdutivas.

Quem age assim sai ganhando sempre, pois não se desgasta com emoções que podem provocar sérios problemas de saúde ou acabar em desgraça.

Muitas brigas surgem motivadas por pouca coisa, por coisas tão sem sentido, mas que se avolumam e se inflamam com o calor da discussão.

Isso porque algumas pessoas têm a tola pretensão de não levar desaforo para casa, mas acabam levando para a prisão, para o hospital ou para o cemitério.

Por isso a importância de aprender a arte de não se irritar, de deixar por menos ou encontrar uma saída inteligente como fez o homem no restaurante.

Pense nisso!

A pessoa que se irrita aspira o tóxico que exterioriza em volta, e envenena-se a si mesma.

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails